15 de mai de 2012

Mostra “Bahia, 100 Anos de Cinema” é Destaque no Projeto Terças na Tela


Mostra “Bahia, 100 Anos de Cinema” é Destaque no Projeto Terças na Tela
Filmes que homenageiam a memória baiana serão exibidos as terça- feiras, nos meses de maio a julho, nos Espaços Culturais da Secult 


O Circuito Popular de Cinema e Vídeo inova mais uma vez e traz ao público a mostra Bahia, 100 Anos de Cinema, no projeto Terças na Tela. Homenageando o centenário do cinema no estado, a mostra apresentará filmes de importantes nomes do cinema baiano, como Edgar Navarro, Chico Liberato e Orlando Senna. O evento conta com a exibição de 27 filmes, longa e curta metragem, distribuídos em 11 programas, presentes em 15 Espaços Culturais da capital, região metropolitana e interior. As exibições serão sempre às terças-feiras, entre os meses de maio a julho.

A mostra vai trazer filmes contemporâneos e de sucesso de público, como “Eu me Lembro”, realizado por Edgard Navarro em 2005, onde o autor mistura a realidade e ficção para traçar um painel de memória coletiva, fornecendo pistas sobre algumas das buscas essenciais de sua geração. Mas também estarão presentes antiguidades raras, nunca antes editadas em formato digital, como “Caveira My Friend” (1970), de Álvaro Guimarães e “Diamante Bruto” (1977), de Orlando Senna.
O segmento de documentários, que resgata obras de grande valor histórico, cultural e artístico também entra em destaque. “A Morte das Velas do Recôncavo” (1976), de Guido Araújo, “Gato/Capoeira” (1979), de Mario Cravo Neto, “Memória de Deus e do Diabo no Monte Santo e Cocorobó” (1984), de Agnaldo Siri Azevedo são alguns exemplos. Importantes nomes do cinema baiano, como Alexandre Robatto Filho, Luiz Paulinho dos Santos e Trigueirinho Neto, estarão com algumas de suas obras expostas e prestarão homenagem a Roberto Pires e Glauber Rocha.
Animações e curtas metragens também se misturam e entram na programação da mostra. O histórico “Boi Arauá”, de Chico Liberato é um exemplo: em desenho é contada a história de um fazendeiro cujo poder é desafiado pela fantástica aparição do Boi Arauá.  Já em “Vadiação”, curta documentário de Alexandre Robatto Filho, que abre a programação no dia 08, é mostrada a capoeira na Bahia, que evolui de luta de guerra para forma popular de dança. Considerado um marco na história do cinema brasileiro, reuni grandes mestres da capoeira como Bimba, Waldemar e Curió.

OBS. NO CENTRO DE CULTURA JOÃO GILBERTO ACONTECEM APENAS AS SEÇÕES DAS 15 E 19 HORAS.

Nenhum comentário: